Autoexame

Tireoide

Aprenda a fazer o Auto-Exame

Cinco passos que podem salvar a sua vida

Você só precisa de copo com àgua e um espelho com cabo.

1. Segure o espelho e procure no seu pescoço a região logo abaixo do “pomode-adão" (mais conhecida como “gogó"). Sua tireóide está localizada ai.

2. Incline a cabeça para trás pra que o pescoço fique mais exposto e focalize essa região no espelho.

3. Beba um gole de água.

4. Com o ato de engolir, a tireóide sobe e desce. Observe se existe algum aumento ou saliência na tireóide. Atenção não confunda a tireóide com o “gogó".

Lembre-se que a glândula está logo abaixo. Repita este teste várias vezes até ter certeza.

5. Ao notar qualquer alteração, consulte o seu endocrinologista ou cirurgião de cabeça e pescoço.

Cavidade Oral

AUTO-EXAME DE BOCA

Previna-se contra o câncer de boca, reduzindo o fumo e o álcool e fazendo uma alimentação rica em frutas, verduras e legumes.

1. Lave bem a boca e remova próteses dentárias, se for o caso. Olhe atentamente a boca, sob luz adequada, e palpe as diversas regiões do céu da boca, língua, lábios e gengiva. Os tabagistas e etilistas devem estar ainda mais atentos e fazer o auto-exame com freqüência.

2. De frente para o espelho, observe a pele do rosto e do pescoço e observe se há algum sinal que não tenha notado anteriormente. Toque suavemente com as pontas dos dedos todo o rosto e procure por sinais e nódulos até então desconhecidos.

3. Observe também se o seu rosto está com os dois lados do mesmo tamanho.

4. Puxe com os dedos o lábio inferior para baixo, expondo a sua parte interna (mucosa). Em seguida, apalpe todo o lábio. Puxe o lábio superior para cima e repita a palpação. Observe se os lábios estão mais avermelhados ou esbranquiçados em algum ponto.

5. Com a ponta do dedo indicador afaste a bochecha para examinar a sua parte interna. Faça isso nos dois lados.

6. Com a ponta do dedo indicador percorra toda a gengiva superior e inferior.

7. Introduza o dedo indicador por baixo da língua e o polegar da mesma mão por baixo do queixo e procure palpar todo o assoalho da boca.

8. Incline a cabeça para trás e, abrindo a boca o máximo possível, examine atentamente o céu da boca. Palpe com o dedo indicador todo o céu da boca. Em seguida, diga ÁÁÁÁ… e observe o fundo da garganta.

9. Ponha a língua para fora e observe a parte de cima. Repita a observação com a língua levantada até o céu da boca. Em seguida, puxando a língua para a esquerda, observe o lado esquerdo da mesma. Repita o procedimento para o lado direito.

10. Observe se a língua está mais esbranquiçada ou avermelhada em algum ponto ou se possui algum machucado. Sinta se algum local da língua dói mais do que outros quando você passa o dedo ou escova os dentes.

11. Estique a língua para fora, segurando-a com um pedaço de gaze ou pano, apalpe em toda a sua extensão com os dedos indicador e polegar da outra mão.

12. Examine o pescoço. Compare os lados direito e esquerdo e veja se há diferenças entre eles. Depois, apalpe o lado esquerdo do pescoço com a mão direita. Repita o procedimento para o lado direito, palpando com a mão esquerda. Veja se existem caroços ou áreas endurecidas.

13. Finalmente, introduza o polegar por debaixo do queixo e apalpe suavemente todo o seu contorno inferior.

O que procurar?

– Mudanças na aparência dos lábios e da porção interna da boca, edurecimentos, caroços, feridas, sangramentos, inchações e áreas dormentes;

– Mudança de coloração;

– Áreas irritadas debaixo de próteses (dentaduras ou pontes móveis);

– Feridas que não cicatrizam em duas semanas;

– Dentes quebrados ou amolecidos.

Recomendações

– Faça o auto-exame da boca mensalmente;

– Se notar alguma anormalidade, procure imediatamente um dentista ou um médico especialista (Cirurgia de Cabeça e Pescoço);

– Ao observar alterações na fala e na deglutição, por mais de 15 dias consecutivos, procure orientação médica.