Amizade e parceria entre especialidades marcam início do Congresso Brasileiro de Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Aliança em Congresso entre cirurgiões e fonoaudiólogos em cabeça e pescoço aponta importância para sucesso no tratamento e reabilitação de pacientes.

Gramado, 08/08/2019 – por Mariana Veltri – colaboradora da SBCCP

No dia 08/08 ocorreu a abertura oficial do XXVII Congresso Brasileiro de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (CBCCP) e XII Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (CBFCCP). O evento que teve início, na quarta-feira, 07/08, trazendo atividades de Pré-Congresso, espera receber cerca de mil pessoas até 10/08, na Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (FAURGS), em Gramado, Porto Alegre.

Na busca pelo melhor para o tratamento de câncer de cabeça e pescoço, a Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP) e a Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia (SBFa) prepararam um grande Congresso com a presença dos maiores expoentes da especialidade. Apresentando um completo update na área de cirurgia de cabeça e pescoço, em um evento direcionado para a interação e troca de informações, o Congresso destaca-se também pela interdisciplinaridade com outras profissões que buscam a excelência na melhoria dos pacientes com patologias de cabeça e pescoço.

Estiveram presentes no palco, o presidente do XXVII CBCCP, Dr. Geraldo Pereira Jotz; o prefeito de Gramado, João Alfredo Bertolucci; o representante do Conselho Regional de Medicina (CRM), o conselheiro Dr. Marcos André dos Santos; a presidente do Congresso de Fonoaudiologia, Dra. Lica Arakawa-Sugueno; o presidente da Comissão Científica do Congresso de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Dr. Leandro Luongo de Matos; a presidente da American Head & Neck Society, Dra. Cherie-Ann Nathan e o presidente da SBCCP, Dr. Luís Eduardo Barbalho de Mello.

O prefeito João Alfredo Bertolucci agradeceu ao Dr. Geraldo Jotz, que teve a gentileza de lhe levar pessoalmente o convite e expressou a alegria do município em receber um evento desse porte. Dr. Geraldo Jotz deu sequência à cerimônia, homenageando toda a diretoria da SBCCP, a parceria da SBFa, à Elisabete Carrara de Angelis, presidente de honra do CBFCCP, que não pôde estar presente. Agradeceu à Stela Maris Eventos, que fez todo o bastidor acontecer, e ao serviço da Fellini Eventos.

“A obra de um Congresso não é fácil, não é feito a duas mãos, mas a muitas mãos. E isso só se torna possível quando se tem o apoio integral de uma diretoria da Sociedade à qual eu faço parte, capitaneada pela gentileza do querido Dr. Luís Eduardo Barbalho de Mello. O comitê científico, onde participam todos os ex-presidentes da Sociedade, foi muito importante, e à querida Andrea De Martino, secretária da SBCCP, e que sem ela, a gente fica à pé, literalmente”, declara Dr. Jotz.

Dr. Geraldo Jotz fez um resgate do Congresso ocorrido em 1997, em Gramado, quando também ocorreu o I Congresso de Fonoaudiologia do Cone Sul, pontuando que este é o melhor caminho a se trilhar para os pacientes de câncer de cabeça e pescoço e que a especialidade avançou muito nesses últimos 20 anos. Desde técnicas para o tratamento, imunoterapia, assim como a evolução da robótica, monitorização e ultrassom, como mostraram nas atividades que lotaram o Pré-Congresso. Em tom comovido, lembrou a atuação do Prof. Dr. Nilton Tabajara Herter, membro fundador da SBCCP, que há mais de 50 anos já tratava de pacientes na área de cabeça e pescoço, na antiga enfermaria de Santa Casa de Porto Alegre. Agradeceu à família pela força que recebeu, pelas ausências que foram necessárias para atender às demandas da profissão.

Na sequência, Dr. Nédio Steffen fez homenagem ao Dr. Nilton Tabajara Herter, também pertencente a diversas Sociedades de ccp internacionais. “Dr. Herter foi o arauto na divulgação da especialidade de ccp em nosso Estado, o RS, criando, mantendo e fomentando o 1º núcleo de formação de novos profissionais, em nossa especialidade”. Ambos receberam, em 1979, o primeiro prêmio Jorge Fairbanks Barbosa da SBCCP. Bastante emocionado, Dr. Nilton subiu ao palco e agradeceu aos amigos que estiveram sempre ao seu lado como profissionais e na vida pessoal.

Dr. Leandro Luongo de Matos fez a entrega do certificado do Serviço Credenciado de Formação ao Hospital Amaral Carvalho, ao Dr. Afonso Javaroni. Dando a palavra, Dr. Leandro agraciou a todos que fizeram o evento acontecer, à toda diretoria, às Sociedades de classe e destacou: “Esse é um momento de muita alegria pra gente, a gente vê um Congresso grandioso que era um sonho até alguns dias atrás e agora é uma realidade. Eu não poderia deixar de agradecer primeiramente aos nossos associados, que nos colocaram aqui, e eu aproveito e agradeço à Comissão Científica, composta de 33 pessoas, todos os nossos palestrantes, nós temos mais de 200 palestrantes, com algum tipo de participação”.

E informou: “De uma maneira inédita, tivemos 471 trabalhos inscritos nesse Congresso. Foi certamente o maior Congresso em termos de captação científica, 381 para o Congresso de Cabeça e Pescoço e 90 para o Congresso de Fonoaudiologia”.

Dra. Lica Arakawa-Sugueno, presidente do Congresso de Fonoaudiologia, também esteve presente no evento de 1997, em Gramado, o qual foi organizado pela Dra. Elisabete Carrara, fonoaudiologista. “Hoje ela está como presidente de honra, porque iniciou todo esse trabalho e porque a Bete sempre está com a gente mesmo quando ela não está. Pela sua representatividade, pela influência que ela tem sobre todos os fonoaudiólogos que atuam na área de cirurgia de cabeça e pescoço. quero agradecer a organização da SBCCP, a generosidade dos cirurgiões de cabeça e pescoço nessa parceria”, destacando a generosidade e dedicação de todos os parceiros.

Depois foi a vez da Dra. Cherie-Ann Nathan se pronunciar: “Em nome da American Head & Neck Society, gostaríamos de agradecer pelo convite, aos maravilhosos líderes que aqui encontramos e aos organizadores do 1º Simpósio Americano conjunto. A incrível hospitalidade e o carinho com que nos receberam. Eu adoro reuniões na América do Sul e acho que isso se deve à incrível e acertada notoriedade, da educação e ciência e nos eventos sociais. Espero com ansiedade pelas amizades que se desenvolverão nos próximos dias. Gostaria de aproveitar a oportunidade e convidar a todos a comparecer ao Encontro Internacional da American Head & Neck Society em julho de 2020, em Chicago. Mais uma vez obrigada”.

Para finalizar a cerimônia de abertura, o então presidente da SBCCP, Dr. Luís Eduardo Barbalho de Mello deu a palavra: “Senhoras e senhores, é com grande alegria que iniciamos mais um Congresso Nacional da especialidade. A Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço é a segunda maior sociedade corporativa em número de especialistas em cirurgia de cabeça e pescoço no mundo. No Brasil, somos mais de 800 filiados e ao longo de seus 52 anos de existência, esta Sociedade sempre se colocou na vanguarda do conhecimento científico e isso é resultado pela busca de conhecimento técnico e no que há de melhor no tratamento do paciente por cada um de vocês, que faz essa Sociedade”.

Dr. Luís Eduardo enfatizou a importância de encontros como esse. “Ainda que os avanços tecnológicos permitam a aquisição de informações à distância, através de plataformas digitais, eu acredito que a melhor maneira de troca de conhecimento, é a que se faz de forma presencial, em fóruns de discussão como esse. Creio que isso é essencialmente importante para o jovem cirurgião que, em início de carreira, precisa obter muita informação a partir da vivência do profissional, adquirida e transmitida pelos mais experientes”.

Dr. Barbalho de Mello lembra que ainda há subnotificação de casos da doença no país e que a neoplasia de cabeça e pescoço ainda tem alta prevalência no Brasil e alerta para os cortes orçamentários danosos à promoção da saúde pública. “Infelizmente ainda recebemos os pacientes com a doença avançada ao diagnóstico inicial. Há muito a se fazer no Brasil. Somente através do conhecimento do perfil epidemiológico dos casos de câncer, é que a gestão de saúde produz uma locação de recursos que atenda às verdadeiras necessidades da população. E para não ficar à mercê do financiamento derivado exclusivamente da indústria, deslumbro como solução o desenvolvimento de estudos multi-institucionais, onde uma grande instituição venha a agregar outra de menor capacidade econômica e com isso tenha um papel verdadeiramente coletivo e propositivo. Isso é o que nos move, o sentimento, a postura societária em comunidade. Desejo um bom congresso, com muito enriquecimento científico ”.

Após declarado aberto oficialmente o Congresso, os participantes puderam assistir à apresentação do espetáculo Kurvatunturi, seguido de coquetel.